domingo, 19 de março de 2017

Foi ontem, em 2003...























Já lá vão muitos anos...
Algumas fotos (espero que não se importem...) e plano do primeiro concerto totalmente dedicado à música electroacústica no Conservatório onde ainda hoje trabalho. Estavam comigo, Ana Seara, Osvaldo Fernandes, Sara Claro e Sofia Sousa Rocha. Foi ontem, em 2003.

sábado, 18 de março de 2017

Pelo aroma das sílabas (2014) - Cantiga de embalar

Pelo aroma das sílabas (2014) - Telegrama do príncipe para a Branca de ...

Pelo aroma das sílabas (2014) - Uma história de dividir

Pelo aroma das sílabas (2014) - Tudo de pernas para o ar

Pelo aroma das sílabas (2014) - Frutos

Pelo aroma das sílabas (2014) - Bichinho de Conta

Pelo aroma das sílabas (2014) - Segredo

sexta-feira, 17 de março de 2017

sábado, 4 de março de 2017

A horas flébeis












Indícios de ouro | Mário Sá-Carneiro

art at home (15)







































Filinto Viana
Óleo sobre papel

Janelas de outono (2)


Sokushinbutsu







































ao João Carlos Pinto
"As canções de António Botto"

Três poemas de Natal (2013) - "Na noite de Natal"

art at home (14)


























Azulejos

Janelas de outono (1)


António Franco Alexandre (1)


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

(as outras músicas...)


Clicar na imagem

Electroacústica, improvisações, citações, gravações e outras experiências

Fragmento final


Rainer Maria Rilke

art at home (10)



















Paisagem | Domingos Bastos
Aguarela

art at home (9)


Porto | Cabral Pinto
Aguarela

Cinco Indícios de ouro (2012) "Canção de declínio nº1"

art at home (8)

(sobre o tema "Música" e dedicado a mim pelo meu amigo Chico) | Francisco Costa
Técnicas mistas sobre papel

domingo, 19 de fevereiro de 2017

castradores e desabilitados

O que não se pode é colocar intermediários castradores e desabilitados (não me refiro a habilitação académica, mas sim, aos que vivem felizes sem o mínimo de saberes culturais) a organizar programas culturais de instituições, programas mal conduzidos, ou, até, in extremis, a gerir a própria cultura.

Baritnok (2012)




Saxofone barítono | Romeu Costa

art at home (5)


Ilustração | Pedro Seromenho
(Prenda de aniversário da Clara)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

art at home (4)


Paisagem | Autor desconhecido
Óleo sobre madeira (terá cerca de 100 anos...)

Indizível (2015) para flauta e piano


Também aqui no Tónica Dominante, passo a publicar a minha música.

art at home (3)


Cristo | Henrique do Vale
Técnica mista sobre papel

art at home (2)



















Pormenor da rede do Estádio Municipal de Braga (5/50) | Eduardo Souto de Moura
Serigrafia

art at home (1)

(sobre o tema "Música" e dedicado a mim pelo meu amigo Chico) | Francisco Costa
Técnicas mistas sobre tela

domingo, 4 de dezembro de 2016

o não poema…

Obras: pouco mais do que uma centena...
Encomendas nunca tocadas: 9
Obras encomendadas tocadas por quem as não encomendou: 4
Obras dedicadas e não tocadas: 10
Obras nunca tocadas: cerca de 40
Obras que ficaram pela estreia: 22

domingo, 20 de março de 2016

dia do pai


Ontem foi dia do pai. Não tendo pai desde os meus 5 anos sou pai de duas meninas há 10 anos. E ontem tive um dia do pai mais feliz do que o normal com prendas que me encheram o coração. No mesmo dia em Almada tive a estreia de duas canções para crianças de uma obra minha chamada "Pelo aroma das sílabas" e à noite outra estreia de um "Ave verum corpus" em Esposende. Poderia apenas ser isto e nada mais, mas assim não foi...

Ao meu lado esteve António Pinho Vargas, um compositor, um ser humano enorme, um intelectual, que tanto admiro, com outra estreia, "Sabat Mater". Tal nunca se me afigurou sequer como uma possibilidade tal é a distância respeitosa que tenho por este músico, mais ou menos desde o final dos anos 80.



O concerto da noite foi verdadeiramente emocional e espiritual, não sentia isto há muito tempo, ver músicos que depois de cantarem (CPCE), de tocarem (Carlos Pinto da Costa e Diogo Zão) e dirigirem (Helena Isabel Venda Lima) nos demonstrassem e se revelassem tão expostos também na sua emoção.

Um abraço enorme de agradecimento a todos por ontem me terem feito sentir, ver e ouvir tudo. As lágrimas também estiveram nos meus olhos, e não apenas nos vossos...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

entre o Musical e o amusical

(parabéns José Diogo, Francisco, Júlia e Pedro)

relembrando um parágrafo final de um texto que escrevi em 2012.

ele há coisas que nunca se escondem, e a maior é, sem dúvida, a ignorância. A minha questão fundamental em relação à música, quer seja ela a portuguesa ou outra, é sempre a mesma e contradiz o espírito das regras “sociais” e democráticas, é aquela que banaliza a célebre frase de que “o gosto não se discute”! Discute, pois. E, concretamente, o gosto musical discute-se e educa-se. Só é pena é que já ninguém esteja para isso, nem para educar nem para ser educado.

in “sobre a ausência de gosto musical”


texto integral em http://tonicadominante.blogspot.pt/2012/06/sobre-ausencia-de-gosto-musical_8240.html