terça-feira, 31 de julho de 2007

"a música da minha vida"!

Para férias vou deixar aquilo a que se pode chamar de "a música da minha vida"!
Apesar de ter consciência da dificuldade de sustentação de tais afirmações, neste caso, e nem sei por quê, é assim mesmo, foi sempre assim desde há muitos anos, ou como eu dizia em tempos, ab origine...
Tivesse eu que escolher apenas uma música, e apenas uma, para qualquer tipo de situação, era esta com certeza, nesta interpretação - Arturo Benedetti Michelangeli.

Na mesma obra deixo também duas sugestões para este período de férias:
a de Martha Argerich e a de Manuela Araújo, esta apenas em audio. Nenhuma delas é de perder, ouçam tudo e aproveitem bem.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

The fire alarm broke

Fleming visited Cage late in his life, and asked how he was doing. "Well, I'm just fine," Cage replied, "but all my neighbors in my apartment building are very upset." "Why is that?" "The fire alarm broke last night," Cage explained, "and rang all night. No one would come to fix it, and none of my neighbors got any sleep." "Then why are you all right?," Fleming asked. "Well," replied Cage, "I just lay there and worked the sound of the fire alarm into my thoughts and into my dreams, and I slept just fine."

Dreaming Reality

domingo, 29 de julho de 2007

no comments (1)

Vim há pouco do concerto de Ivo Pogorelich...
Só vi a primeira parte...

Quero recordar sempre Ivo Pogorelich assim, e só assim.
J. S. Bach, Suite No. 2 in A minor, BWV807 - Prelude

(para quem estiver interessado aqui está uma crítica a um concerto com programa semelhante)

sábado, 28 de julho de 2007

Dinu Lipatti

Mas o que une as pessoas que gostam mesmo de música é a capacidade de estarem abertas a surpeenderem-se a qualquer momento!
Assim disse Carlos A. A., com toda a razão, num comentário a um post que aqui coloquei - "Chopin e interpretação". Pois bem, o César Viana e o próprio Carlos A. A. aguçaram-me o apetite para ouvir as valsas de Chopin por Dinu Lipatti. E não é que a minha amiga Nívea Samovar, a propósito do tal post, me oferece um cd com as ditas cujas! Ouvi, e fiquei abismado, debaixo de um som "antigo" encontrei a clareza, a elegância e o equilíbrio de uma interpretação magistral.
Para ouvir deixo aqui a Valsa n°6 en ré b maior op.64 por Dinu Lipatti.
Obrigado César, Carlos e, claro, Nívea!

Tarefa concluída

DE VOLTA!
Sempre deu para publicar 199 posts do Tónica Dominante (1) e chegar ao fim vivo!
Já está na barra lateral nos anos de 2005 e 2006. Outra forma de consultar é clicar na etiqueta "Tónica Dominante (1)".
Ufa, ufa...

terça-feira, 24 de julho de 2007

Republicação

Não tenho colocado posts por aqui...
por sugestão de algumas partes ando para aqui a republicar a primeira versão do Tónica Dominante todo à mãozinha, posts e comments. Tudo, tudo, com as datas da própria época, enfim, uma faina!

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Splanky

Então aqui vai!
Este post, retribuição a Carlos A. A. do Ideias Soltas, propõem três contrabaixos, Christian McBride, músico da nova geração, e dois músicos da velha guarda, Milt Hinton e Ray Brown, ou "Dad", como alguns lhe chamam. A distribuição sonora é esta: Brown na esquerda, McBride ao centro e Hinton na direita. O cd, Gettin' to it de Christian McBride (1995), primeiro álbum da carreira deste jovem contrabaixista, e a música chama-se Splanky.
Swing é isto!

sábado, 14 de julho de 2007

by one's own hand (4)


George Crumb, Univ. of Pennsylvania stationary: "Pastorale" from Makrokosmos, 1974

2º Prémio Internacional de Composição da Póvoa de Varzim

De acordo com a acta de 28 de Abril de 2007, “(...) Depois de discutidas e analisadas todas as obras concorrentes, nas duas categorias a concurso, entendeu o júri [constituído pelos Professores Odaline de La Martinez, Luís Tinoco (Presidente), Fernando Lapa e Carlos Caíres], por unanimidade, seleccionar as obras: “Quatro Personagens Saídas de um Conto” de Hugo Ribeiro; “A Civilização” de Fátima Fonte Ferreira; e “Seis Peças para Piano” de Patrício Silva (para a final da categoria “Música de Câmara” / Prémio “Associação Pró-Música da Póvoa de Varzim”). Entendeu o júri, também por unanimidade, seleccionar as peças: “Reminiscências” de Hugo Ribeiro; e “Perpétuité” de Ana Seara (para a final na categoria “Orquestra” / Prémio “Câmara Municipal da Póvoa de Varzim”).

by one's own hand (3)


Philip Guston, Original magic marker drawing

sexta-feira, 13 de julho de 2007

29º Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim

A 29ª edição do Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim arranca hoje com o grupo italiano La Venexiana, dirigido pelo contratenor Cláudio Cavina, no primeiro dos 11 concertos previstos no programa do evento. Este grupo, especializado em música barroca, dedicará inteiramente a sua actuação, na Igreja Matriz, à obra de Domenico Scarlatti, na passagem do 250º aniversário da morte do compositor. Esta actuação é antecedida pela conferência do musicólogo Ruy Vieira Nery sobre “Domenico Scarlatti e a chegada dos modelos barrocos italianos a Portugal”, que constitui o primeiro evento da presente edição do FIMPV, este ano dedicado à música europeia, da Grécia clássica à actualidade. O festival decorre até 28 de Julho, com sessões na igreja matriz, na igreja de S. Pedro de Rates, no Auditório Municipal e no espaço cultural do Diana Bar, na Póvoa de Varzim, onde terá lugar a conferência e os encontros previstos no programa. Estarão presentes intérpretes oriundos de oito países, encontrando-se Portugal representado com 83 intérpretes em vários instrumentos. Além dos 250 anos de Domenico Scarlatti, o festival prestará também homenagem aos compositores Heitor Villa-Lobos e Maurice Ravel. O Quarteto de Cordas Prazak apresenta domingo no Auditório Municipal, um programa com obras de Haydn, Janácek e Dvorák. Nos dias seguintes, acontecem as actuações da violinista alemã Isabelle Faust, com o pianista russo Alexander Melnikov, num concerto com obras de Schubert, Fauré e Schumann, e dos pianista russos Nikolai Lugansky (Schumann, Brahms, Prokofiev e Ravel), dia 15, e Valentina Igoshina (Chopin, Liszt e Brahms), no dia 17. A 20 de Julho, a Orquestra Sinfónica da Póvoa de Varzim apresenta-se com Valentina Igoshina para tocar obras de Ana Seara, Hugo Ribeiro e Dmitry Shostakovich. No dia seguinte, a Camerata Sensa Misura apresenta as obras vencedoras deste prémio na modalidade Música de Câmara, enquanto dia 23 actua o (Des)concertante Trio, que executará obras de Sérgio Azevedo, Carlos Marques, Paulo Ferreira e Astor Piazzola. A música da Grécia clássica ouvir-se-á na igreja românica de S. Pedro de Rates no dia 24, com a soprano catalã Arianna Savall. Dois dias depois, o Coro Gulbenkian apresenta-se na Igreja Matriz, sob direcção de Jorge Matta. O concerto de encerramento está a cargo do grupo belga Il Gardellino, dirigido pelo oboísta Marcel Ponseele.

(Informação retirada daqui)

segunda-feira, 9 de julho de 2007

XII Semana Internacional de Piano de Óbidos

A SIPO - XII SEMANA INTERNACIONAL DE PIANO 2007, promovida pela Associação de Cursos Internacionais de Música de Óbidos (ACIM) com o apoio da Câmara Municipal de Óbidos e do Ministério da Cultura – Instituto das Artes, realizar-se-á de 28 de Julho a 8 de Agosto de 2007, na magnífica vila medieval de Óbidos (Portugal), sendo orientada por professores de renome internacional: Vitaly Margulis (Rússia/EUA) piano; Luíz de Moura Castro (Brasil/EUA) piano; Manuela Gouveia (Portugal/Espanha) piano; Paul Badura Skoda (Áustria) piano; Boris Berman (Rússia/EUA) piano. Os cursos constituem o núcleo principal da Semana Internacional de Piano de Óbidos, e no seu décimo primeiro ano de existência são, hoje em dia, o evento mais importante no seu género em Portugal. O elenco dos professores é composto por artistas de renome internacional, ao mesmo tempo excelentes pedagogos. Os cursos destinam-se a estudantes de nível profissional, músicos no início da carreira, professores e jovens pianistas/violoncelistas especialmente motivados. Além das aulas individuais os duos violoncelo/piano aproveitarão da possibilidade de trabalhar sonatas com professores de ambos instrumentos. O número de lugares é limitado a 40, sem audição preliminar, sendo as inscrições aceites por ordem de entrada. Se necessário, os professores poderão fazer audições preliminares. Os alunos são distribuídos pelos professores de acordo com a ordem de preferência indicada no boletim de inscrição e as obras apresentadas, dentro do limite das possibilidades. Os cursos internacionais de piano d’Óbidos oferecem a todos os participantes activos a possibilidade de trabalharem com vários professores permitindo um enriquecimento musical muito diversificado. Cada participante deverá apresentar pelo menos três obras.Os participantes activos terão à disposição pianos para estudo - mínimo de 2h de estudo diário para cada participante. A todos os alunos é dada a oportunidade de actuar em concertos públicos. Será atribuído o prémio “Maria de Lurdes Avellar” aos estudantes que mais se destacarem nestes concertos. Este prémio será atribuído pelo público e pelos professores das master classes.No final dos cursos, todos os participantes recebem um diploma. A inscrição nas masterclasses engloba 3 aulas (duração de 60 minutos) com um ou mais professores, a assistência a todos os cursos, um mínimo de 2h de estudo diário, entrada em todos os concertos, alojamento com meia pensão do dia 28 Julho ao dia 8 de Agosto, transporte do aeroporto de Lisboa para Óbidos e regresso e uma visita turística de meio dia à região de Óbidos.

Curso acreditado pelo Conselho Científico/Pedagógico da Formação Continua
(toda a informação retirada daqui)

Andy Mckee


(O Paulo Mesquita enviou-me por email este video)

quinta-feira, 5 de julho de 2007

Gen Paul (9)


Gen Paul, Le Violoniste, 1928

Queen's College Choir of Oxford em Braga

A LM enviou-me um email com esta informação!

O Museu Nogueira da Silva, em Braga, apresenta no dia 07 de Julho, Sábado, pelas 21h30, um concerto pelo internacionalmente conceituado coro da capela do Queen’s College da Universidade de Oxford, que conta com os apoios do Colégio 7 Fontes, do ISAVE, do IPUMI e do Palácio da Igreja Velha.
O Queen’s College Choir of Oxford tem uma forte tradição. Com os seus vinte e cinco cantores, é considerado um dos melhores de Oxford e Cambridge. O coro é dirigido por Owen Rees, Fellow em música e organista do College. O repertório do coro é vasto e imaginativo. O seu mais recente CD, Paradisi , inclui as primeiras gravações de obras setencistas de Portugal e Espanha. O Coro executa, também, repertório moderno.
PROGRAMA

Pero de Gamboa (c1560-1638)
Estote fortes in bello

Duarte Lobo (c1565-1646)
Missa de Beata virgine
Kirie
Gloria
Credo
Sanctus
Agnus Dei

Aires Fernandez (séc. XVI)
Benidicamus Domino

Duarte Lobo
Audivi vocem de caelo

Pedro de Cristo (c1540-1618)
Dixit Dominus (7vv)

Intervalo

Henry Purcell (1659-1695)
Remember not lord our offences

Lord, how long wilt thou be angry

Gerald Finzi (1901-1956)
from Seven Poems of Robert Bridges, Op. 17 (1934-1937)
I praise the Tender Flower
My Spirit Sang all Day
Clear and Gentle Stream
Haste on, My Joys

Charles Villiers Stanford (1852-1924)
Justorum animae
Entrada: 7 euros
Estudante: 4 euros

Museu Nogueira da Silva/Universidade do Minho
Av. Central, nº.61
4710-228 BRAGA
Telef. 253.601275
Telefax 253.264036
sec@mns.uminho.pt
http://www.mns.uminho.pt

As últimas 5 leituras

Recebi este desafio do Carlos A. A. do Ideias Soltas – os últimos cinco livros que li?
Então aqui vão os cinco:
  • Introduction to post-tonal theory de Joseph Straus (2000)
  • Doutor Fausto de Thomas Mann (1947)
  • Mort ou Tranfiguration de l’Harmonie de Edmond Costère (1962)
  • Twentieth-Century Music – An Introduction de Eric Salzman (1988)
  • Serial Composition and Atonality: An Introduction to the Music of Schoenberg, Berg and Webern de George Perle (1991)
Neste momento, estou a ler:
  • Todas as Almas de Javier marias (1989)
O desafio segue para A Sinistra Ministra, para o Abaixo de cão, para o Anacruses, para o Contemporâneas, para o desNorte, para o Insustentável e para o Paixões e Desejos.

Expresssão musical

Encontrei, e tirei, esta maravilha do blogue El espía de Mahler e, mais não seja, valeu-me umas boas gargalhadas! Acho que é de pôr este senhor desde já a explicar nas Escolas de Ensino Especializado da Música conceitos como: forte, piano, crescendo, cantabile, súbito, etc..
Quem sabe até não fica mais claro para os alunos...

segunda-feira, 2 de julho de 2007